Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cais da Escrita

Blog destinado à publicação de trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha visando promover o gosto pela leitura e pela escrita. Que os alunos escrevam por prazer, com criatividade e imaginação. Desde 25 de outubro de 2011.

Cais da Escrita

Blog destinado à publicação de trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha visando promover o gosto pela leitura e pela escrita. Que os alunos escrevam por prazer, com criatividade e imaginação. Desde 25 de outubro de 2011.

Yusra Mardini

Yusra Mardini

nadadora.jpg

(imagem retirada de Unsplash)

Yusra nasceu em Damasco (a capital da Síria) no dia 5 de março de 1998. Como o seu pai, Mohamed Mardini, era treinador de natação, não demorou muito tempo a dar as primeiras braçadas. Ela adorava nadar.

Yusra gostava muito do país em que vivia, dos amigos, da escola… de tudo. Mas pouco tempo depois de festejar o seu 13º aniversário, o seu país deixou de ser o lugar acolhedor de que ela tanto gostava e passou a ser um lugar assustador e escuro. Acabava de começar uma guerra civil!

Com o passar dos meses tudo se ia tornando cada vez pior, mas Yusra nunca abandonou a natação. Não foi fácil. Por vezes, estava a caminho de uma prova quando recebia um telefonema da mãe, que lhe pedia para voltar para casa, por causa dos bombardeamentos.

Mas o pior foi quando a piscina onde treinava habitualmente foi atacada, o teto ficou com buracos e ela teve de parar.

Havia cada vez mais bombardeamentos e um dia a casa de Yusra e da sua família foi atingida!

Ela e a sua irmã mais velha, Sarah, tiveram a oportunidade de fugir para a Alemanha, mas a decisão não foi fácil. O pai e a mãe tinham de ficar na Síria.

Apesar do medo e da insegurança, Yusra e Sarah partiram em agosto de 2015 em direção à Alemanha. Antes de chegarem ao destino tiveram de passar por vários países, o primeiro foi o Líbano e daí partiram para a Turquia. Pelo meio, passaram quatro dias no meio da floresta, sem comida e sem água. Até ao dia em que, a troco de dinheiro, arranjaram um barco que as levaria para a Grécia.

A embarcação não devia levar mais do que seis ou sete pessoas, no entanto, iam a bordo 20 refugiados.

De repente, o motor parou durante a viagem e a polícia marítima ignorou os pedidos de ajuda. Toda a gente entrou em pânico, mas Yusra, lembrou-se de que era uma nadadora e uma nadadora não pode morrer no mar!

Então, saltou para água com a irmã e um rapaz, os três jovens ataram-se ao barco com cordas e puxaram-no.

Nadaram mais de três horas e fizeram um esforço sobre-humano. Quando faltava ainda meia hora, Yusra perdeu as forças e teve de voltar para dentro do barco. Foi mais difícil sem ela, mas passado algum tempo chegaram à Grécia.

O mais difícil já tinha passado! Foi esse pensamento que lhe permitiu fazer o caminho até Berlim de forma tranquila. Passou pela Macedónia, pela Sérvia, pela Hungria, por Viena e por Munique até finalmente chegar à capital alemã em setembro de 2015.

Quando chegou, só pensava em encontrar uma piscina onde pudesse continuar a nadar. Afinal era essa a sua paixão.

Passado pouco tempo, inscreveu-se num clube de natação, o Wasserfreunde Spandau 04.

Yusra continuou a nadar e toda a gente ficou espantada. Ela nadava mesmo muito bem! E em março de 2016 entrou para a lista de refugiados que poderiam fazer parte da equipa oficial para os Jogos Olímpicos. Dois meses depois, recebeu a notícia de que tinha sido escolhida e ficou muito feliz.

Atualmente Yusra é Embaixadora da Boa Vontade da ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados).

Apesar de tudo o que passou, ela conseguiu realizar os seus sonhos e continuar a fazer aquilo de que gosta, pois como Yusra Mardini disse: “Quero mostrar a toda a gente que a seguir à dor e à tempestade chegam dias mais calmos. Não quero que desistam dos sonhos, quero que façam o que vos diz o coração, mesmo que pareça impossível.”

Madalena Machado Seixas, 6.º A

Professora Lina Marques, Cidadania e Desenvolvimento

Mais sobre este Cais

Selo BloguesEDU

Dica do dia

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D