Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cais da Escrita

Blog destinado à publicação de trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha visando promover o gosto pela leitura e pela escrita. Que os alunos escrevam por prazer, com criatividade e imaginação. Desde 25 de outubro de 2011.

Cais da Escrita

Blog destinado à publicação de trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha visando promover o gosto pela leitura e pela escrita. Que os alunos escrevam por prazer, com criatividade e imaginação. Desde 25 de outubro de 2011.

Concurso "Ser escritor é Cool!" Rede de Bibliotecas Escolares - 1º ciclo

Herói no mundo obscuro

alexis-antoine-lbIgR6AwLfw-unsplash.jpg

retirada de Unsplash

O mundo estava em total escuridão, por onde eu fosse eu ficava cada vez mais fraco e quase não conseguia andar. O que me acontecia também acontecia a todas as pessoas, animais e plantas.

Tudo parecia morto, sem energia e sem cor.

Já estava desesperado e como não conseguia mais caminhar, refugiei-me numa casa velha, quase parecia uma casa assombrada a cair aos bocados.

Era uma casa estranha, encostei-me num canto e passado algum tempo, pareceu-me ver um ser estranho, muito brilhante, todo feito de luz e cores. Eu fugi cheio de medo, mas ele tocou-me.

Fiquei muito estranho, com mais energia e mais rápido, parecia que estava mais feliz. Eu estava também brilhante e colorido.

Como me sentia super forte decidi ajudar as outras pessoas a saírem deste mundo escuro e oprimido.

Então, comecei a tocar nas pessoas que encontrava, tudo o que eu tocava ficava ”vivo”, feliz e cheio de energia e muita cor.

Também toquei nas árvores, nas plantas, nos animais e tudo ficou com muitas cores.

O escuro tinha desaparecido, agora via-se o mar azul e o sol amarelo e as pessoas sorriam umas para as outras, todos estavam felizes.

Também notei que eu estava mega veloz, então dei a volta ao mundo e toquei em tudo o que era escuro e sem vida.

Agora, o nosso mundo era colorido, cheio de criatividade e vida.

Todos estavam felizes e com luz no seu coração!

Edward Monteiro Rodrigues

Guilherme Reis Costa

Santiago David Silva Pisco

4º ano

Escola do 1º ciclo da Avenida

 

Concurso "Ser escritor é Cool!" Rede de Bibliotecas Escolares - 2º ciclo

Um pincel colorido

 

dragos-gontariu-SRkBReboyfU-unsplash.jpg

imagem retirada de Unsplash

Neste mundo, obscuro e oprimido, falta uma pessoa ou um poder que transforme este mundo, num mundo vivo!

Pois bem, eu seria uma super-heroína chamada Íris, pois este mundo deveria ser banhado por um arco-íris de alegria, esta é a justificação do meu desejado nome.

Eu teria dois grandes poderes, o poder da alegria, que com uma simples saudação as pessoas iriam ficar inundadas de alegria.

O outro poder seria dar a cada pessoa um pincel colorido para pintar tudo, de todas as cores e boas emoções, assim, iria criar um mundo em que todos seriam livres graças àquele pincel.

Com este pincel mágico, o mundo seria quase perfeito, mas um mundo perfeito não existe, mas existiriam pessoas com capacidades e diferenças incríveis, que tornariam o mundo mais alegre, mais colorido e mais criativo.

Para além destes poderes, eu teria também um fato mágico e colorido e o meu cabelo seria de todas as cores. Com o meu fato, eu poderia ajudar com rapidez os idosos a atravessar as ruas, faria voluntariado e iria conseguir chegar a todos os que tivessem problemas porque o meu fato iria dar-me uma velocidade incrível.

Neste mundo que ajudaria a melhorar, todos iriam viver felizes com as suas diferenças, com os seus gostos, todos viveriam com liberdade de expressão, liberdade de ser, liberdade de viver, de liberdade brincar e liberdade de sonhar.

Iriam todos, finalmente, ser felizes e viveriam num mundo sem opressão!

 

Beatriz Sarabando, nº1, 5ºD

Da turma do 4º ano, da Escola Básica de Sto. António - Valmaior.

A cavaleira e o corcel

12.png

Era uma vez uma cavaleira, que levava o seu corcel para as guerras. O corcel estava muito bem limpo. A cavaleira dava aveia e lavava o corcel todos os dias.

Quando acabaram as guerras, a cavaleira levou o corcel para um estábulo.

O telhado do estábulo estava com buracos e tinha lama no chão.

O corcel tinha de trabalhar muito no campo.

Quando houve outra guerra, a cavaleira vestiu as calças, a armadura, pegou nas luvas e nas pistolas. Virou-se para o corcel, meteu-lhe a cabeçada, sacudiu o lixo e montou-o. Mas o corcel, com as suas patas magras, desfaleceu e disse:

- Tu trataste-me como um burro, então vai a pé.

Deves ter um amigo e cuidares dele…

Um trabalho da Íris - turma do 4º Ano

da Escola Básica de Sto. António - Valmaior

Professor Titular de Turma: Fernando Pais

Mais sobre este Cais

Selo BloguesEDU

Dica do dia

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D