Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cais da Escrita

Blog destinado à publicação de trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha visando promover o gosto pela leitura e pela escrita. Que os alunos escrevam por prazer, com criatividade e imaginação. Desde 25 de outubro de 2011.

Cais da Escrita

Blog destinado à publicação de trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha visando promover o gosto pela leitura e pela escrita. Que os alunos escrevam por prazer, com criatividade e imaginação. Desde 25 de outubro de 2011.

Pela turma do 2.º A, da EB de Albergaria.

Viver o Carnaval

 

Criança fantasiada e contente

Alegria para toda a gente

Responsabilidade a brincar

Nunca desrespeitar

Animação! Animação…

Vontade de brincar e dançar

Assim vale a pena festejar

Lindo carnaval, com imaginação!

 

Turma 2.º A,

da EB de Albergaria-a-Velha

Prof.ª Titular de Turma: Carmo Delgado

Pela turma do 4.º B, da EB de Albergaria.

Ensino Experimental das Ciências

1.JPG

Há já algum tempo que termos percebemos as etapas do método experimental e que conhecermos o material de laboratório que existe na nossa escola. Fomos a uma sala de Ciências e aprendemos as principais regras de segurança. Desta vez, fizemos uma experiência para identificar o estado físico em que amostras de materiais se encontram à temperatura ambiente.

O professor apresentou-nos os objetivos:

  • Distinguir materiais líquidos de materiais sólidos;
  • Reconhecer que o estado físico de algumas substâncias se pode alterar por mudança da sua temperatura;

Dialogámos na turma sobre as nossas opiniões e chegámos à seguinte questão:

 

Questão-Problema: Como se distinguem os sólidos dos líquidos?

 

Começámos a mexer nos materiais que se encontravam à temperatura ambiente:  amostras diferentes com água, leite, mel, sal, farinha e açúcar, colocadas em sacos transparentes de plástico e herméticos,identificados com letras (A, B, C, D, E, F).

De seguida, o professor pediu-nos que, com os sacos, formássemos 2 grupos:  o dos materiais no estado sólido e o dos materiais no estado líquido.

Registámos a constituição de cada um dos grupos e definimos o critério que iríamos usar para distinguir os sólidos dos líquidos. Neste caso, o nosso critério foi “formação de gotas”.

Por isso, o professor trouxe-nos um conta-gotas para verificar quais os materiais que formam gotas e os que as não formam bem como um termómetro digital para medirmos a temperatura ambiente.

2.JPG

4.JPG

Apresentámos algumas possibilidades e previsões.

Logo a seguir, iniciámos o preenchimento de uma tabela para registo das nossas observações.

Verificámos que a água, o leite e o mel à mesma temperatura, formam gotas. O sal, a farinha e o açúcar não formam.

A resposta à questão-problema foi: «À temperatura ambiente (20.9 ºC), os líquidos formam gotas e os sólidos não.»

Percebemos assim que a distinção entre líquido e sólido se faz pela formação de gotas (os líquidos formam gotas e os sólidos não).

No final, redigimos um texto coletivo para vos contar esta nossa experiência.

3.JPG

5.JPG

6.JPG

7.JPG

8.JPG

9.JPG

Texto coletivo da

Turma do 4.º B,

da EB de Alb.-a-Velha

Prof. Titular de Turma: José Manuel Alho

Adaptação ao 5º ano

Uma adaptação à escola

can-stock-photo_csp7569022.jpg

                                                                                                                                                                                                                                  www.canstockphoto.com

 

 

       Na última semana de férias eu estava com um certo receio da escola até porque nas férias os T.P.C. não tinham sido acabados... e a minha mãe insistia em eu ir acabá-los, pois o 5º ano ia ser difícil...
      Na reunião de apresentação conhecemos duas professoras, a professora Carla e a professora Lina, mas mais professoras ainda tínhamos que conhecer...
      Demos uma volta à escola e ficámos a saber onde podíamos brincar.
      No dia seguinte, começámos a trabalhar a sério, os intervalos eram curtos, e por vezes nem comíamos. Mas fomo-nos habituando.
    Até que, certo dia, dei por falta da carteira, aí começou a correria, perguntávamos às funcionárias e nada, procurávamos nos caixotes do lixo e nada, fomos ver às salas e nada, procurámos no recreio, mas da carteira nem rasto...
      Quando entrámos no dia seguinte, para a aula de português ao tirar a capa de micas encontrei a carteira.
      No fundo todos pensámos: ainda bem que a carteira ali esteve o tempo todo porque nos divertimos muito... mas o susto foi grande!

 

                                                                                                                                                           Filipa Melo – 5º C

 

Pág. 2/2

Mais sobre este Cais

Selo BloguesEDU

O Tempo para hoje

(clicar na imagem para outras previsões)

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D