Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cais da Escrita

Blog destinado à publicação de trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha visando promover o gosto pela leitura e pela escrita. Que os alunos escrevam por prazer, com criatividade e imaginação. Desde 25 de outubro de 2011.

Cais da Escrita

Blog destinado à publicação de trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha visando promover o gosto pela leitura e pela escrita. Que os alunos escrevam por prazer, com criatividade e imaginação. Desde 25 de outubro de 2011.

Pela turma do 4.º A, da EB de Albergaria-a-Velha.

O regresso do tesouro

 

 

     Nas férias de verão, eu e alguns amigos: o André, a Neuza, a Soraia e a Marília, vimos no noticiário que tinham roubado um tesouro do museu de Lisboa.

     O tesouro foi levado para o Reino dos piratas, para uma ilha distante chamada Ari.

    Logo combinámos resgatar esse tesouro. Pedimos ajuda ao Diretor do museu e aos nossos pais. Todos decidiram ajudar. O pai da Soraia emprestou o seu barco. Assim, preparámos a viagem e saímos do porto de Aveiro.

     Perto da Ilha da Madeira, veio uma tempestade muito forte, com raios e trovões. As ondas eram enormes e o nosso barco durante três dias andou perdido. Depois o mar acalmou e pudemos seguir viagem.  

     Passadas duas semanas, chegámos perto da ilha. Pelos binóculos, vimos que os piratas estavam armados. Então lembrámo-nos de utilizar o pó mágico. Com flechas especiais, atirámos saquinhos desse pó que fez adormecer todos os piratas desse reino. Quando já estavam todos adormecidos, procurámos o tesouro no palácio do rei e rapidamente o transportámos para o barco. Depois regressámos e fomos entregar as joias de ouro ao museu.

     Agora já se pode admirar de novo esse belo tesouro!

 

4º A, da EB de Alb.-a-Velha

Professora Titular: Carmo Delgado

    Observação: História com o narrador

             participante ou narrador presente.     

Poemas elaborados no âmbito da comemoração do Dia Internacional dos Direitos da Criança, atividade realizada em articulação com o grupo de Educação Especial.

Os meus Direitos e os meus Deveres

 

Sou uma criança e devo ter direitos e deveres

Tenho o direito de crescer

De  brincar e aprender

Ser feliz e muito feliz

Alguém fazer.

 

Tenho o dever de respeitar

O nosso respeito a todos devo dar

Respeitar e ser respeitado

E ignorar bocas de mau agrado.

 

Tenho o direito de sonhar,

E pouco a pouco pestanejar

Para a lua alcançar.

 

Cada um tem defeitos,

E tens de os respeitar.

Com cada um tens de saber lidar

E os teus defeitos irão respeitar.

 

Tenho o direito e o dever

De ser amado e fazer alguém sentir-se assim.

Estes são os direitos e os deveres

Para todos pequenos seres como nós.

Micaela – 4º A

Copiado no computador pelo Gonçalo,

com ajuda da irmã Rafaela.

Os direitos e deveres de uma criança 

Todas as crianças têm direitos

Direitos de crescer em liberdade

Liberdade de: brincar, de ter opinião …

  

 

Todas as crianças têm o dever de respeitar 

Respeitar a natureza e os espaços que utilizam

Utilizam o respeito para conviverem.

 

 

Todas as crianças têm o direito à educação

Educação na escola e na família

Família de Paz e Amor.

Inês Vinhas – 4º A

 

A Criança diferente

As crianças são o melhor do mundo

São o melhor da vida

A criança deficiente é um ser especial

Mesmo que a vida não as tenha preparado para tal

Não devemos ignorar, nem julgar

Devemos amar, cuidar e ajudar.

 

Têm o direito de aprender

Mesmo que não saibam ler

A deficiência não é a diferença

É apenas uma dificuldade

Em ultrapassar obstáculos na vida,

Com a nossa ajuda. 

Soraia, com ajuda da mãe – 4º A

 

Criança

Ser criança é ser livre

Livre como os pássaros que voam

Voam pelos campos da natureza

Natureza que deve ser respeitada

Respeitada por todos

Todos têm deveres

Deveres e obrigações a cumprir

Cumprir com educação

Educação e saúde

Saúde que é essencial para se viver

Viver em harmonia

Harmonia e proteção

Proteção para não ser discriminado

Discriminado, não, mas feliz

Feliz como deve ser uma Criança.

 Carolina, com ajuda da mãe – 4º A

 

 

EB de Albergaria-a-Velha,  4.º A

Prof.ª Titular da Turma do 4.º A: Carmo Delgado


Poema coletivo sobre a

Declaração Universal dos Direitos da Criança

Somos crianças,

Todas amigas.

Todos diferentes, mas todos iguais

Com os mesmos direitos,

Que são universais.

Nascemos como uma flor e

Para crescer felizes, precisamos de amor.

 

Cada um com o seu nome

Cada uma com a sua identidade,

Sem nunca esquecer

A nossa nacionalidade.

 

Nascemos cheios de sorte

Num país livre e sem guerra,

Onde vivemos em paz,

Cada um na sua terra.

 

E SER CRIANÇA É TÃO BOM!

Poder brincar, saltar e sorrir

Numa escola como esta

Onde nos podemos divertir,

Sem nunca esquecer

Que estamos aqui para aprender.

(Turma 3ºB) 


EB de Albergaria-a-Velha,  3.º B

Prof.ª Titular da Turma do 3.º B: Mariana Cravo Ferreira Costa

Mais sobre este Cais

foto do autor

Selo BloguesEDU

Visitas ao Cais

free counter

contador de visitas

O Tempo para hoje

(clicar na imagem para outras previsões)

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D