Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cais da Escrita

Blog destinado à publicação de trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha visando promover o gosto pela leitura e pela escrita. Que os alunos escrevam por prazer, com criatividade e imaginação. Desde 25 de outubro de 2011.

Cais da Escrita

Blog destinado à publicação de trabalhos dos alunos do Agrupamento de Escolas de Albergaria-a-Velha visando promover o gosto pela leitura e pela escrita. Que os alunos escrevam por prazer, com criatividade e imaginação. Desde 25 de outubro de 2011.

OFICINA de ESCRITA - Língua Portuguesa 6º ano

 

Leonardo, o Felizardo

 

 

       O mês de agosto já ia avançado, mas houve um dia que marcou para sempre a vida de Leonardo.

     Leonardo, era um rapaz que não tinha nada, vivia num casebre que mais parecia uma barraca, era o mais velho de 3 irmãos, a mãe sofria de paralisia dos membros inferiores e o pai estava numa prisão de alta segurança. Leonardo que sofreu imenso ao longo da sua vida, tornou-se feliz num dia de agosto.

     Naquele dia, não havia distribuição de alimentos e já não havia mais restos para comer, Leonardo foi pescar. Pegou na cana que tinha feito com um pau e com uma linha e caminhou até a um lago.

     Quando chegou ao lago, Leonardo viu o rapaz mais rico da pequena escola que frequentava. Leonardo evitava-o ao máximo para não ser gozado pelo facto de andar sempre descalço.

      — Olha o Leonardo, sem Calçado — disse o rapaz com ar de trocista.

      Enquanto estava a ser gozado pelo rapaz, Leonardo sentiu a cana dobrar e puxou-a. Depois de muito esforço conseguiu ver o que tinha pescado - uma bota. Leonardo fitava a bota boquiaberto e com os olhos esbugalhados, enquanto o outro rapaz se desmanchava a rir.

      Enquanto se ria o rapaz reparou que a cana também estava a dobrar, puxou-a e viu que tinha pescado uma grande dourada.

      Leonardo sentiu, novamente, a cana a dobrar. Todo esperançoso, puxou a cana à espera de ter pescado um peixe e saiu outra bota.

      O outro rapaz voltou a rir enquanto Leonardo fitava a bota…Até que reparou que era igual à que tinha pescado. Calçou as botas de borracha amarela que lhe serviam perfeitamente. Com um sorriso de orelha a orelha foi-se embora enquanto o rapazola o mirava.

      Leonardo sentia-se super feliz.

 

Diogo Malheiro,6B, n.º9

 

 

Mais sobre este Cais

foto do autor

Selo BloguesEDU

Visitas ao Cais

free counter

contador de visitas

O Tempo para hoje

(clicar na imagem para outras previsões)

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D